A psicologia ajuda a melhor idade a viver de forma “splendorosa”

Happy patient is holding caregiver for a hand while spending time together

A terapia é de fundamental importância para o aumento ou manutenção da qualidade de vida e bem estar do indivíduo. O que não está muito claro, é que a população idosa também merece e tem o direito de ter seus momentos consigo mesmo, trabalhar seus traumas, medos, tristezas e até programar o seu futuro.

À medida que envelhecemos nos deparamos com perdas significativas como ocorrência de doenças crônicas, mudanças financeiras decorrente da aposentadoria, viuvez, morte de amigos e parentes entre outras situações, o que pode gerar as chamadas crises existenciais.

E é na terapia que encontramos o equilíbrio para passarmos por essas situações de forma positiva o que é fundamental para saúde mental, além disso, contribui com a adesão ao tratamento, elaboração do luto, modificações nos papéis sociais, diminuição de dores e outros sintomas psicossomáticos.

Sabemos, por exemplo, que a depressão e ansiedade, assim como na população em geral, é crescente entre os idosos e algumas das principais causas são a falta de atividades e contato social. Logo, a terapia além de ajudar a elaborar e adaptar-se as situações, ajuda a enxergar as potencialidades e sentir-se valorizado, ajustando seu equilíbrio emocional.

Acrescentamos ainda que, segundo os estudos, o idoso valoriza muito sua lucidez, levar a vida de forma descontraída, ter momentos de sossego e tranquilidade, ser autônomo, ter liberdade e independência para suas atividades diárias, assim como ter fé em algo e poder participar de festas. Situações que podem ser alcançadas mais facilmente por aqueles que tem acesso a terapia.

Por tudo isso, aqui no Splendore, fazemos questão que todos nossos clientes, sejam moradores ou frequentadores da modalidade dia, tenham a oportunidade de estar em consultas em grupo ou individualmente com a psicóloga e assim alcançar uma vida ainda mais “Spledorosa”.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *